Banho de Cachoeira: tô precisando. Tu também?

Beia Carvalho fala de Inspiração, no PropMark

Beia Carvalho fala de Inspiração, no PropMark

Palestrante futurista conta que seus maiores inspiradores são os próprios clientes: “Um porque me provocou, outro porque levantou a minha bola…”.
(Publicado no jornal PropMark de hoje, 30abril2016, na coluna Inspiração).

Você começa a se perguntar e num instante já está imerso em conceitos facilmente misturáveis: intuição, criatividade, conexão milagrosa, epifania?

Você pode se sentir profundamente inspirado, verdadeiramente impelido a alguma forma de criação e, por um ou dez motivos, isso não se realizar. Então, acho que a criatividade, no sentido de conceber e prototipar, é um passo esperado por quem se sente inspirado, porém não está umbilicalmente ligada à inspiração.

Dizem que o que te inspira tem a ver com o que você previamente já conhece do mundo. Sejam essas coisas reais ou imaginárias. Eu tendo a concordar com essa levada. Porque minha inspiração vem sempre de uma coisa que eu quero conhecer mais, que eu discordo, que eu queria gritar para o mundo e ouvir o que as outras mentes pensam. Então, imagino que o que me irrita e me inspira a escrever, a me aprofundar e jogar numa conversa com amigos, com os meus filhos, são coisas que de alguma forma conheço.

Li que a Dra Cynthia Sifonis, descobriu que, ao pedir para os participantes de sua pesquisa para criar e desenhar animais alienígenas de um distante planeta totalmente distinto da Terra, as pessoas desenhavam animais baseados em gatos e cachorros, com simetria bilateral e órgãos de sentidos como olhos e orelhas.

Ícaro Verniz, sócio da Fenix Editora

Ícaro Verniz, sócio da Fenix Editora

 

Nunca pensei que diria isso. Mas os maiores inspiradores da minha atual carreira de palestrante foram os clientes de minha Consultoria 5 Years From Now®. Um porque me desafiou, outro porque me provocou, outro porque levantou a minha bola. Meu primeiro tema de palestra, se encaixa neste último caso. A palestra sobre as 5 Gerações no Mercado de Trabalho é a que eu mais ministrei até hoje, e tem 7 anos! Ícaro Verniz foi taxativo: “nunca ouvi ninguém falar de gerações como você fala. Você tem que montar uma palestra sobre isso!”

Silvana Torres, presidente da Mark Up

Silvana Torres, presidente da Mark Up

 

O que me desafiou a criar o tema da inovação foi bem complicado. Silvana Torres, não me inspirou de imediato. Plantou. E quanto mais eu pensava, mais aquilo me incomodava. Até que um dia, aquela coisa: a tal conexão, um siricutico dentro de você, um desconforto confortável. Um ímpeto. Uma coragem. Uma energia súbita. Um toque. Não vou parar até chegar ao fim disso. E nasceu a palestra INOVAR ou MORRER. Dos meus temas, o segundo mais pedido.

A provocação veio da Endeavor. Que meninos e meninas mais adoráveis! Oliver Alexander e Felipe Braga queriam que eu falasse do Futuro Conectado para empresários, no formato TED. Estamos falando do início de 2011. Uma palestra de 29 minutos era muito ousada! Ontem fiz uma de 4 minutos. Exponencialidade!

Se as minhas palestras surgiram da inspiração de fora, meus artigos, minhas viagens, vídeos seguem a mesma toada. Em termos de inspiração própria eu sou bem medíocre. Se não fossem pelos amigos, clientes, fotos, filmes e pelas notícias, eu ficaria sentada no pudim.

Marcello Queiroz me inspira há 25 anos!

Marcello Queiroz me inspira há 25 anos!

 

Quando eu era pequena, meu apelido era manteiga derretida, porque eu chorava fácil. Em se tratando de falar com autoridades – diretoras de escola, pais etc – sempre fui a spokeswoman. Mas nos sentimentos, buá! Por isso, acho que os filmes e as fotos tem grande efeito sobre mim até hoje. Continuam a me inspirar e são meus instrumentos para inspirar outros.

https://youtu.be/ojdbDYahiCQ
Acho que o mais importante eu ainda não falei. Normal, não é? A gente fala, fala e esquece do principal. Ciente do que te inspira, cuide de levar uma vida rica de elementos, sinais, sons, cheiros, frios na espinha, luzes enigmáticas, cores triunfantes, abraços sensuais, banhos de cachoeira(tô precisando de um), poetas russos, balés pina bauscheanos, Amys e todos os motivos do Tim-Maia-Me-Dê-Motivo.

E hoje, indo ao supermercado, encontro Evandro, poeta amigo, que diante da lama que nos atinge disparou em pleno ponto de ônibus: “Deus … que diabo é você?”. E me levou a pensar no escritor mais amado de meus pais, Machado: “O acaso … é um Deus e um diabo ao mesmo tempo.”

Andy Warhol, Detroit, 1985, Inspira.

Andy Warhol, Detroit, 1985, Inspira.

Tags: , , , , , , , ,

Posts:

One comment

  1. Não citei meus filhos Galileo e Guido Giglio, porque mais que me inspirar, eles me EMPURRAM ladeira abaixo.

leave a comment