EMPREENDER


11
Dec 13

Five Years From Now faz 5 anos!

É, conseguimos!!!
Em 5 anos, 40 empresas atendidas e mais de 500 profissionais em workshops. Nas quase 50 palestras, milhares! Bóra FUTURAR! Bóra PALESTRAR para milhares! Feliz 2019!
Obrigada a todos os clientes, amigos, monitores, prospects, fãs, fornecedores, amigos dos amigos e plateias de minhas palestras. Em 2014, dedicação total aos 5 temas de palestras: FUTURO, INOVAÇÃO, GERAÇÕES, SE LIGA e MKT PESSOAL.

Presente de aniversário: linda matéria no Propmark!

Presente de aniversário: linda matéria no Propmark!

HIGH FIVE! #faivefaz5

HIGH FIVE! #faivefaz5

#faivefaz5

#faivefaz5


24
Sep 13

Daqui 5 anos tem festa de 15 anos do Estúdio MOL!

Estúdio MOL faz 10 anos!

Estúdio MOL faz 10 anos!

Dizem os especialistas que, a partir dos 10 anos, as crianças começam a sair da infância.
E visualizam o mundo adulto, no qual estão loucos ou sendo forçados a entrar.
Um mundo mais complexo.
Um futuro cada vez mais próximo.

É a idade da Independência.
Necessidade de esticar as asas.
Uma idade de grande apetite.
Afinal, há mais uma grande década pela frente.

E apetite é o que não faltou neste ano que o Estúdio MOL completa 10 anos: “mais de 270 projetos de vídeo e animação em 2013 e a expectativa de crescer 50% este ano”. Daqui 5 anos, metade do que compartilharemos por celular/pad será no formato vídeo.

Não é assim corriqueiro fazer 10 anos. O IBGE concluiu que as empresas brasileiras sobrevivem, em média, 10 anos. Ufa! Desta estatística o Estúdio MOL já passou.
Se não é corriqueiro para o IBGE, para mães como eu, menos ainda. E quando dá certo, passa tão rápido!

Estúdio MOL 10 anos!

Estúdio MOL 10 anos!

Me lembro quando eram 2 estudantes da FAU e 1 da GV, que adoravam cartoons, brinquedos, design, animação, papel, cores, cores e cores e, acima de tudo, criar.
Um dia, sumiram. Passaram-se algumas semanas até que, sem querer, descobri que tinham alugado uma salinha na Vila Madalena. Dali, foram para aquele incrível espaço, Módulo Fidalga. E agora, de novo, de casa nova. Comento mais abaixo.

Foi para o Estúdio MOL que fiz o “piloto” do meu workshop 5 Years From Now®, em 2007. Cresceram. Com o tempo splitaram em 3 negócios: Editora MOL do Rodrigo, MOL Toons do Zullo e o original, Estúdio MOL, de Galileo Giglio.

Desde o 1o. projeto de LEGO para o Banco do Brasil, em 2003, os formatos e limites entre arte, design e comunicação já foram quebrados. Ilustração, animação, inovação ou diversão? Essa determinação para cruzar, sobrepor, estilhaçar, desafiar, desmontar e remontar disciplinas é de nascença, congênito. Não tem com não ser.

E não foi fácil. Alguém disse que seria?
Não foi Steve Jobs que disse “o que separa os empreendedores de sucesso daqueles malsucedidos é a pura perseverança”? Então, parabéns ao empresário Galileo por perseverar!

Se você quiser conhecer o novo (lindo) loft do MOL, projetado por Ciro Ghellere, bem no centro de Sampa, vai se surpreender. Elogios ao “achado” era só o que se ouvia na festa de inauguração. Tem estúdios de vídeo e foto próprios, do ladinho do Metro República. Assim fica fácil, pra você e todos que trabalham na produtora, utilizar transporte público.

Há 10 anos, não existia Facebook (2004), Youtube (2005), Twitter (2006), Instagram (2010). Para o Estúdio MOL, um mundo que se mostra em diferentes formatos a cada momento é uma diversão. E divertido e colorido, o Estúdio MOL sempre foi, em todas as suas versões.

Cranio e MOL Graffitti ITAU

Cranio e MOL Graffitti ITAU

Estúdio MOL para Natura Sou

Estúdio MOL para Natura Sou

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL

Guguei e achei: divertir, do latim divertere: “voltar-se para um lado diferente das preocupações”. Acho que é uma boa definição para a criação do Galileo e seu time vencedor. Viva a Geração Y!

Petrobras – Energia from Estudio MOL on Vimeo.

Os clientes-anunciantes:
Natura, Itaú, Oi, Nike, Volkswagen, Coca-Cola, MTV, O Boticário e Ferrero.
Os parceiros:
ID\, AlmapBBDO, NBS, W/McCann, Live Ad, Leo Burnett, Ogilvy, Neogama e Black Maria.
A linha do tempo:
2003: #partiu com Galileo, Rodrigo e Zullo.
2013: Estúdio MOL comemora 10 anos em nova sede.
2018: daqui 5 anos estaremos na festa de 15 anos do Estúdio MOL.

NOTAS:
1. Vídeo móvel será 46% do tráfego Internet em 2018:http://tinyurl.com/nzly6ns
2. Estúdio MOL aponta crescimento: http://propmark.uol.com.br/produtoras/45651:estudio-mol-aponta-crescimento
3. Mãe Coruja, publicado em 6/10/2010: http://www.5now.com.br/mae-coruja/#more-257
4. Pesquisa IBGE, divulgada em 23/08/2013: http://tinyurl.com/mmb7mv5

Mais sobre Estúdio MOL:
- Estúdio Mol é destaque no meio digital, publicado em 10/4/2013: http://propmark.uol.com.br/produtoras/40084:estudio-mol-se-destaca-no-digital
- Itaú comemora um ano de Facebook, publicado em 13/11/2012:

http://propmark.uol.com.br/digital/42417:itau-comemora-um-ano-de-facebook

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL


Fotos Galileo Giglio by Daniela Toviansky


30
Aug 13

Você leva sua empresa ao EXTREMO?


Você é a cabeça pensante da sua empresa.
Você tá olhando lá na frente.
Você tá animando a moçada mais que Silvio Santos.
Você desanima e não tem um outro “você” pra te animar!
Você arrisca, xinga, joga, avança, recua, mete o peito, radicaliza.
É, é com você mesmo.

Delegue tudo que puder.
Porque essa força, esse entusiasmo, essa empolgação esse gás, esse rojão, vigor, coragem, potência, veemência, influência, persistência e insanidade tem que vir daí de dentro do empresário.

Você leva a sua empresa ao EXTREMO?
Não? Então quem vai levar?

NOTAS:
Extreme Highlining – Insane Heights!!!
Filmado por Devin Graham
Música de Tony Anderson, download aqui:http://tiny.cc/jjln2w
Os 5 atletas: Lauren Crepeau, Scott Rogers, Brian Mosbaugh, Daniel Moore, Ryan Robinson, Creighton Baird.
Making off: http://www.youtube.com/watch?v=DAcwXgM9SGs&feature=youtu.be
Vídeo do Ford Explorer: http://www.ford.com/suvs/explorer


31
May 13

Quase 5 na 5 Years From Now® com muitos 5!

beia-tais-5-palestra-SELIGA_0975
Neste 5o. mês do ano, a gente está comemorando a marca de mais de 5.000 fãs que curtem a nossa página no FACEBOOK. 

A GENTE A+DO+RA FÃS!  

Porque a 5 Years From Now® se fez a partir de pessoas e empresas que curtem o nosso trabalho, nosso jeito de falar e de trabalhar. E nos escrevem pra dizer isso!

Nestes quase 5 anos, construímos uma máfiazinha e já batemos a marca dos 350 clientes. E mais do que satisfeitos, temos amigos, laços fortes e uma rede tecida com mais de 5.000 horas de trabalho. Dizem que inovação acontece depois de 10.000 horas de suor. Somando minhas horas com as da minha sócia Taís estamos batendo essa marca! rsrs.

Também nos orgulhamos de nossa marca histórica de aprovação: convertemos 1 em cada 3 propostas! E ainda bem que aqui não precisou do 5 pra rimar com o post, não é?

Não descobrimos como ganhar dinheiro enquanto dormimos – nossa ambição máxima. Mas não desistimos! Se você tiver 1 ou 5 dicas, manda pra gente.

Nossas cativantes palestras são – a cada dia que passa – nosso orgulho maior. Provocar, instigar, evocar, causar, precipitar e inflamar: é com a gente, mesmo! E colhemos aplauso de todas as gerações. Adoramos chacoalhar todas as plateias.

NOTA DA BEIA:
Há várias linhas de divisões de gerações. Esta é a que eu uso:
Geração Tradicionalista: hoje acima de 67 anos (nascida antes de 1946)
Geração Baby Boomer: hoje entre 49 e 67 anos (nascida entre 1946 -1964)
Geração X: hoje entre 37 a 48 anos (nascida entre 1965 e 1976)
Geração Y: hoje entre 16 a 36 anos (nascida entre 1977 e 1997)
Geração Z: hoje entre 3 a 15 anos (nascida entre 1998 e 2009)
Geração A: hoje com até 3 anos (nascida após em 2010)

Ainda não é fã? Vai lá na nossa fanpage: https://www.facebook.com/5YearsFromNow

SE VOCÊ CONTRATA PALESTRAS PEÇA UMA PROPOSTA do mais novo conteúdo da 5 Years From Now® e se ligue no SE LIGA!


18
May 13

Ah, Se a Moda Pega!


A moda sempre me fascinou. E felizmente trabalhei 2 vezes neste mercado. Um mercado em que os azougues são poucos, porque entendem que trabalham com o intangível, mas o sucesso é bem tangível. Na moda há sucessos de crítica e público que rapidamente se transformaram em escandalosas bancarrotas. E os longevos e verdadeiros sucessos de negócios como Christian Dior e Giorgio Armani, para citar conhecidos.

A história por trás desses bem-sucedidos empresários da moda é sempre de muito perseverança, determinação, obsessão, mesmo. Costumo dizer que são do signo de capricórnio: nada os detém.

Lendo a trajetória de Mike Jeffries, 68, CEO da Abercrombie & Fitch desde 1984, seria ao mesmo tempo difícil e óbvio imaginar seu último depoimento, que causou frisson no bilionário mercado de moda.

Difícil, porque Jeffries praticamente nasceu dentro de uma cadeia de lojas. Aos 12 anos já era responsável pela compra da seção de brinquedos das lojas de seu pai, se formou em Economia, tem MBA na Columbia Business School, estudou na London School of Economics e trabalhou com Allen Questrom, da J.C. Penney e com o ex CEO da Gap, Millard S. Drexler, hoje J.Crew.

Fácil, porque seu arquétipo do Fora-da-Lei, o bad guy, jamais o abandonou! Ele ostenta títulos como “Mais Bem Pago dos Piores Gestores (Highest Paid Worst Performer), concedido a ele em 2008, pela The Corporate Library, numa pesquisa com 2.000 empresas americanas!

A web está de exemplos de sua luta insana por agregar valor a marca com suas frases arquetípicas “não quero que os meus principais clientes vejam pessoas que não são tão bacanas como eles usando nossas roupas”. Mas valor é uma coisa em decadência para Abercrombie desde 2005. Em 2009, após abrir 250 lojas, as vendas líquidas (net sales) eram de $313.9 milhões, muito perto dos $287.4 milhões de 2005 ou $351.3 de 2006.

Segundo a about.com sua reputação também não vai nada bem. Num país careta como os Estados Unidos, ele tem contra ele o boicote de grupos como Foco na Família, Fundação de Mulheres e Meninas, Coalisão Nacional para a Proteção de Crianças e Famílias, estudantes, universitários, pais e tantos grupos de internet que nem dá para listar.

As apostas do “fora-da-lei” não viraram grana, mas este vídeo de Greg Karber pode virar uma dor de cabeça.

Para quem não entende inglês, minha humilde contribuição: Tradução do vídeo.
Abercrombie & Fitch é um empresa horrível. Seu CEO insiste em somente contrata pessoas atraentes o que é irônico, considerando que ele tem essa cara. Além disso, ele se recusa a vender tamanhos grandes (XL e XXL) para mulheres, porque ele não quer que gordas usem suas roupas.

Mike Jeffries explica sua política relembrando que em toda escola existem jovens bacanas (popular kids) e os que não são. “Francamente, nós queremos os bacanas. Nós queremos todos os atraentes jovens americanos com um jeito cool e muitos amigos. Muita gente não encaixa [em nossas roupas], e eles não podem ter [pertencer]. Atitude de exclusão? Absolutamente.”

Para piorar a situação, eles queimam as roupas com defeitos em vez de dar para quem precisa. Eles querem só um tipo de pessoa usando suas roupas.

Hoje nós vamos mudar a marca deles. Viajei para um outlet de Los Angeles e comprei (não foi nada fácil) umas peças para doar aos desabrigados. De lá segui para a zona leste de Los Angeels, um local chamado Skid Row, que tem um das maiores populações de sem-tetos dos Estados Unidos. E comecei a doar. No começo, as pessoas foram relutantes em aceitar, mas depois minha expedição foi um grande sucesso.

Mas eu sou só uma pessoa eu não posso mudar uma marca sozinho. Eu vou precisar da sua ajuda. Então, dê uma olhada no seu guarda-roupa, no guarda-roupa dos seus amigos e de seus vizinho. Ache todas as roupas Abercrombie que eles compraram (por engano) e doe-as para o abrigo de sem-teto de sua cidade. Compartilhe o que você fez no Facebook e no Twitter e no Google+ (se você realmente estiver usando Google+) com a hashtag #FitchTheHomeless.

Juntos podemos fazer da Abercrombie & Fitch a marca de roupas número 1 dos sem-teto.

Mais aqui: http://www.businessinsider.com/abercrombie-wants-thin-customers-2013-5#ixzz2TeEf7zuq
Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Mike_Jeffries_(CEO)

http://elitedaily.com/humor/the-10-most-ridiculous-things-mike-jeffries-ceo-of-abercrombie-fitch-has-said

Seguir @GregKarber


4
Mar 13

“It’s the goddamn Grand Canyon!” ?

Empreender é assim como esse vídeo: emocionante, vibrante, exagerado, experiencial, instigante, intrigante, fodástico, orgasmático, intenso, incrível, inimaginável, impensável, incomensurável, fabulous e dá um PUTA de um MEDO! Ah, e vale!

Algumas coisas na vida tem que ser vividas de corpo e alma. Não dá pra sentir sua grandiosidade nem mesmo na telona do cinema. Antes de conhecê-lo, não entendia a fixação dos americanos em mostrar filmes produzidos no Grand Canyon. Ao contrário de outros assuntos, quanto mais se sabe, menos impressionante nos parece. Moldado pelo rio Colorado durante milhares de anos, tem 446km de comprimento, 30km de largura e 2km de profundidade. Uma das 7 maravilhas do mundo, habitado por 5 tribos indígenas, os Hopi, Navajo, Havasupai, Paiute and Hualapai, e aí?

Do Planeta dos Macacos, à genialidade de Thelma & Louise, (“It’s the goddam Grand Canyon!” ?responde Susan Sarandon à Geena Davis), nada se compara ao estar lá. Por isso, o espanto de Louise não nos causa a empatia pretendida pelo diretor que ali está – embevecido por um dos mais inesquecíveis espetáculos: o amanhecer no Canyon.

A minha (recomendada) caminhada ladeira abaixo de 13km até o rio Colorado, começa às 4h da manhã. E você tem só até às 9 pra chegar lá embaixo, antes do sol te comer viva. Paramentada com tudo de especial, meias, botas, cantil e amendoim pra dar sede e você não se esquecer de tomar água. O canyon é um deserto, você não sua, porque não há umidade no ar. E isso faz você se esquecer de ingerir líquidos. Pelo caminho, esquilos, bambis, águias vaondo com uma cobra no bico e cores. Muitas cores. A cada 10 minutos rochas mudam de cor. E mudam de novo e mais uma vez. Mais de 7 km chutando pedra e uma parada no oásis: sombra de árvores e água potável. Ah, que benção é o oásis. Descansou? Bóra enfrentar o restinho que falta: um pequeno e interminável deserto de areias fofas. Já é de manhã, o sol rachando na cabeça. A bota afunda a cada passo e pesa 1 tonelada pra sair da areia. A mochila, 2!

Já dá pra vislumbrar ao longo da trilha as águas do Colorado, enquanto os pés chafurdam pesadamente na areia incandescente.

Agora só falta atravessar a ponte. Parece miragem. Nunca chega. Mas chega. Arranco as meias e botas e mergulho os doloridos pés, já com bolhas, no escuro e deliciosamente gélido rio Colorado. Ah o paraíso existe! A volta, só amanhã de madrugada. Fico ali, catatônica. Pés estraçalhados dentro da água, contemplando o verde. Amanhã tem mais ocres, marrons e azuis, sem verdes.

Contemplação, “otium” [ócio], “uma forma de lazer dedicada às coisas do espírito”*. Momentos em que a mente se alimenta. Jamais esquecerei aquele dia. Grandes idéias vem deste “verdadeiro repouso”*, uma pausa para o “negotium” [o comércio].*

Quando John Powel dirigiu a primeira expedição ao desfiladeiro, em 1870, referiu-se ao Canyon como “páginas de um belo livro de histórias”. É incrível como há coisas incríveis que fazem uma incrível diferença nas páginas do belo livro da história das nossas vidas. Coisas que fazem a vida valer incrivelmente a pena de ser vivida.

Grand Canyon & Beia Carvalho

Grand Canyon & Beia Carvalho

Grand Canyon & Beia Carvalho

Rio Colorado: enfim o descanso dos justos. Grand Canyon & Beia Carvalho

Notas:
-Todos os créditos do vídeo neste link: World’s Most Insane Rope Swing Ever!!! – Canyon Cliff Jump
Música do vídeo é “Kitten Air” do novo álbum do Scott & Brendo, aqui no iTunes: http://bit.ly/15I54vR .Amazon:http://amzn.to/ZGWMnh

- * Marc Fumaroli, professor honorário do Collège de France, no Le Monde.
- Texto originalmente publicado na Revista Results On Negócios Inteligentes, em maio 2009.