Governador faz jus a House of Cards*

Kevin Spacey-Frank Underwood

Kevin Spacey-Frank Underwood

Já ficou na dúvida se o que se passa na série House of Cards é exagerado ou romanceado demais? Esqueça! O’Malley, o atual governador de Maryland – onde as temporadas 1 e 2 foram filmadas – acaba de mostrar com que cartas se joga o jogo na capital do poder.

Faço um alerta que este post tem lá a sua graça para quem segue essa brilhante série que, como todas as boas, deixa a gente viciada logo no 1o. capítulo. E diferentemente das novelas, não deixa a peteca cair nos outros. “Kevin Spacey está na sua melhor forma – calculista, charmoso, sagaz e impiedoso”**.

Como governador do estado Maryland, o que você faria para manter 3.700 empregos e mais de 100 milhões de dólares em investimentos e atividades econômicas que a série House of Cards gera por temporada? O’Malley fez de um tudo e a temporada 3 começa a ser filmada nos próximos meses em seu estado, beneficiando primordialmente as cidades de Baltimore, o condado de Harford e a capital Annapolis. Este é o resultado de uma longa batalha para que a série continuasse a ser produzida em Maryland e não levasse sua geração de empregos para outros paraísos. Para tanto, o governo teve que triplicar os créditos de US$ 4 milhões, que estava oferecendo a Media Rights Capital, os produtores da próxima temporada.

Vilões de House of Cards

Vilões de House of Cards

Para filmar as 2 primeiras temporadas a Media Capital recebeu nada mais nada menos que US$ 26 milhões! Mas para continuar a série teriam apenas US$ 4 milhões. Foi quando começou a peregrinação e as negociações do governador, a la Frank Underwood protagonista de House of Cards, para mudar leis e o escambal. E como o protagonista, O’Malley conseguiu: os produtores vão receber um pouco menos do que queriam, mas concordaram com os US $11.5 milhões. Nada mal, meta-house-of-cards.

Pelas leis, a quota anual de Maryland para gerar empregos e girar a economia através de produção de filmes é de US$ 7 milhões. Insuficientes para cobrir as necessidades das grandes produções. Por isso, todos os anos os legisladores tem que votar um aumento dos créditos advindos dos impostos para financiar todo este Hollywood buzz.

Convencer legisladores deste aumento deve ter sido tão emocionante quanto os capítulos da série. No debate sobre o film tax credit program os legisladores reclamaram de extorsão, mas aumentaram o fundo anual para US$ 15 milhões, em 7 de abril.

A Divina Robin Wright

A Divina Robin Wright

Curioso que apenas 2 semanas antes, num Wine Bar de Annapolis, estes mesmos legisladores tiveram seus 90 minutos de fama bebericando junto com Kevin Spacey. Os legisladores fazendo selfies e babando perguntavam ao ídolo holiudiano sobre a temporada 2. Kevin-Frank angariava votos para aumentar os créditos para a série, enquanto os políticos desfrutavam, por uma noite, da excitante vida de glamour e mistérios retratadas nas versões sobre política produzidas por Hollywood.***

E também ao estilo de Frank Underwood, o governador declarou: “Media Rights Capital tem sido um grande incentivador do povo e do entretenimento da comunidade de Maryland e nós não poderíamos estar mais felizes em continuar esta parceria.”

Fica aí, para você se decidir quem é que convenceu o legislativo: O’Malley ou Frank?

Frases do Implacável Francis

Frases do Implacável Francis

_________________________________________________________
Frases famosas de Frank Underwood:
– “Eu amo aquela mulher. Eu a amo mais do que os tubarões amam sangue.”
– “Amigos fazem os piores inimigos.”
– “Há 2 tipos de dor. Aquela que te faz mais forte e a inútil. A inútil é aquela que é só sofrimento. Eu não tenho a menor paciência para coisa inúteis.”
– “A melhor maneira de derrotar uma dúvida gotejante é inundá-la com a verdade nua e crua.”
– “A democracia é superestimada.”
– “A proximidade com o poder ilude alguns a pensar que eles o exercem.”
– “Para nós que estamos escalando o topo da cadeia alimentar, não pode haver misericórdia. Há apenas uma única regra: caçar ou ser caçado.”
– “A estrada para o poder é pavimentada com hipocrisia e baixas (mortes).”
– “A natureza das promessas, Linda, é que continuem imunes às mudanças das circunstâncias.”
– “Um grande homem uma vez disse, tudo é sexo. Exceto sexo. Sexo é poder.”
– “A partir deste momento você é uma rocha. Não absorve nada, não diz nada e nada te derruba.”
– “Dinheiro é uma mansão em Sarasota****, que começa a ruir depois de 10 anos. Poder é aquele velho edifício de pedra que está lá há séculos. Não consigo respeitar alguém que não consegue ver a diferença.”
________________________________________________________
NOTAS:
* Original publicado no Washington Post, em 25/4/2014 por Jenna Johnson com a contribuição de John Wagner, neste link: http://wapo.st/1imFC1B
“House of Cards’ producers reach deal on tax incentives with Maryland, will remain there”

** Steven Rosenbaum, em Forbes, 18/2/2013

*** Original publicado no Washington Post, em 22/3/2014 por Jenna Johnson com a contribuição de John Wagner, neste link: http://wapo.st/1lU92bk “Kevin Spacey whips votes for Maryland film tax credits”

**** Termo original é “Mc-mansion”, pejorativo para novas enormes e luxuosas casas em subúrbios americanos.

Casa de Francis & Claire: estilosa brownstone de mais de US$ 1 MI

Casa de Francis & Claire: estilosa brownstone de mais de US$ 1 MI

Tags: , , , , , , , ,

Posts:

One comment

  1. E como seria a abertura se fosse em Brasília. Vejam esse trabalho do Wagner Martins https://www.youtube.com/watch?v=pSDFx6xhHcw&list=UU0fuUk93AzmG4AGrYHY6Mjw sobre o trabalho de timelapse do Miguel Netto: http://vimeo.com/11767754Miguel

leave a comment