It’s a free country!

Free, Babe!

Free, Babe!


Quem me conhece está cansado de ouvir esta frase. É uma frase potente. Ninguém deixa de sorrir ou fazer um comentário a cada vez que a repito. E olha que isso acontece pelo menos 1 vez por dia. Há décadas!

Esta é uma das frases, ditos, provérbios que repito porque adoro “causar”. Elas fazem parte da cultura brasileira, da cultura publicitária ou são apenas umas das muitas que recolhi/roubei durante a minha vida. “Há malas que vem de trem. E outras que vão pra Belém”; “Intimidade só traz problemas e filhos” (Fátima La Torre), “Uma idéia de 1milhão de dólares”; “Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”; “Nobody is perfect (nem você, nem eu)”; “Não é o mundo que é pequeno, é a renda que é concentrada”.

Mas, “it’s a free country, babe (beibe)” é a mais perene de todas. Talvez, por ser a mais simples e complexa.

Num país livre, cada um de nós pensa, faz e se comporta da maneira que gosta, que quer, que se sente bem. Então, presta atenção: ca-da-um-de-nós! You and Me, inclusive!

E, porque ca-da-um-de-nós-pode e faz o que bem entende, ca-da-uma-de-nossas-ações tem conseqüências sobre nossos amigos, vizinhos, namorados, colegas de trabalho, chefes, inimigos, conhecidos, desconhecidos, amantes, parentes queridos, parentes distantes, amigos em outros países.

É isso. It’s a free country, Babe. Para o bem e para o mal. And I Love it!

Notas:
E a mais antiga de todas: o cara começou explicando que “o mundo começou com uma bola de fogo que se resfriou, depois vieram os grandes lagos, rios, os dinos, o milésimo gol do Pelé …”

Tags: , , ,

Posts:

leave a comment