Mas, o Johnny Mathis está vivo?

A caminho do Tropicana, foi a primeira coisa que ouvi, da mulher ao meu lado na van que nos levava do Aeroporto para o hotel, em Las Vegas.

O pouco-quase-nada-que-eu-sei-e-vi de Las Vegas é assim: muitos mortos-vivos.

No Tropicana, construído em 1956, quando Las Vegas era igual àquela do filme do Warren Beatty, “Bugsy”, a decadência está por toda a parte. E olha que o hotel está longe de ser o lanterninha da degradação. Palcos imensos com um coitadinho cantando a qualquer hora do dia ou da noite. Um grupo de cinqüentões com um guarda-roupa antigo, maquiagem de quinta, pulando, dançando, dando a vida para parecer os atléticos jovens do passado. É de matar!

Mas mudei de hotel, estou no Bally’s. E adivinhem? É tudo igual. Um pouco mais novo, um pouco menos fim-de-feira, mas é a mesma barulheira infernal. E os modelitos! E ah, os penteados (muito desfiado e laquê!), os mini-micro-vestidos e os saltos altésimos, uma coisa espantosa!

O som-ruído-horror é onipresente. Bem ruim, trash anos 80, bem alto, bem estourado e misturado com todos os outros sons vindos de todos os restaurantes, hotéis, cassinos e – acredite: dos postes das ruas! Até as fontes de água tem som-ruído! O Nordeste é aqui!

Ah, e tem uns gritinhos histéricos-infantis-arrepiantes. Não decifrei ainda o porquê, mas você ouve vários durante o dia. Vem sempre de um grupo de mulheres. Quando eu descobrir, conto. Ah, e a gente fica elétrica e tudo que a gente toca dá choque. Vixe Maria! Parece coisa do demo!

Ah, faz frio de manhã e à noite, porque é deserto. E durante o dia todo também, porque parece que eles tem que gastar muita energia. O ar é tão frio que a finlandesa e a canadense confessaram nunca ter passado tanto frio em toda a vida como na palestras do DMA.

E hoje foi o último dia da Pré-Conferência. Amanhã começa de verdade: 12.000 pessoas! E já valeu estar aqui e ouvir um pro como o Walker Smith, da Yankelovich, falar do “What’s really going on in the Marketplace”.

Mas o mais Direct Marketing de Las Vegas está na camiseta dos homens-placas: “Girls Direct To You in 20 Minutes”.

Gente, o Barry Manilow também está vivo! E aqui em Vegas! www.manilow.com

DMA Conference, Las Vegas 2008

* Bugsy conta a história do Benjamin “Bugsy” Siegel, um gangster americano por trás do “sonho” Las Vegas.

 

 

Tags: ,

Posts:

One comment

  1. Parabéns, excelente post!

leave a comment