Identidade


26
Sep 14

Janis Joplin se foi há 44 anos!

Janis Joplin 1943-1970

Janis Joplin 1943-1970

Ontem, repliquei um vídeo, assim, despretensiosamente. Como fazemos algumas vezes ao dia, quando damos de cara com algo que nos toca.

São coisas que nos fazem rir. Que nos entristecem. Num átimo, nos enraivecem de um tanto, que quase pensamos em pegar em armas e marchar contra o “inimigos”. Tem outras que nos enternecem, assim, no meio do turbilhão de coisas e responsabilidades do dia. E poucas, potentes, nos fazem viajar no tempo. Em nossas antigas e ainda presentes crenças. Em nossos esquecidos sonhos, namorados, viagens e bobas preocupações de outrora. E canções tão sólidas, intoxicantes, influenciadoras que é irresistível assistir ao vídeo até o final, mesmo com “o mundo caindo” a seu redor.

Clique aqui para ver o vídeo com legendas em português. Publicação by Lula Zeppeliano.

Um dia depois, Elizabeth Silva, replicou meu comentário com essas tocantes palavras: “Cada um tem o seu jeito, né? E quando a gente gostaria ser de um jeito e é de outro, faz o quê? Pega o jeito de alguém emprestado, oras! Mesmo que seja só uma coisinha … Hoje, destaco uma pessoa e palestrante que tem um jeito “descolado” que eu adoro: Beia Carvalho. Postei um mimo dela, com uma entrevista bem bacana da Janis Joplin.”

OBRIGADA BETH! Foi a 1ª. coisa que li hoje de manhã. Me sentindo muiiiito bem!

Janis morreu 3 meses depois desta entrevista a Dick Cavett Show, em outubro de 1970. É muito bom revê-lo também, showman! Dick a entrevistou mais uma vez, em agosto de 1970.

Mês que vem, faz 44 anos de sua morte. Tempo para 3 gerações: X, Y e a Z. Ao ouví-la falar sobre as mulheres, a impressão que nos passa é que “freezamos” este assunto há quase meio século! Reproduzo aqui o comentário que fiz ao postar este vídeo em meu perfil: “Ídola! Entrevista incrível! Nestes 45 anos avançamos muito pouco como mulheres. Ouvi uma entrevista na TV da menina que fica sem graça de parar a transa – se o cara não tem camisinha -”porque ele pode ficar bravo da gente cortar o clima dele”.

A parábola de Janis Joplin sobre a carroça, a mula e a cenoura, e as promessas entre homens e mulheres, é incrível. E, infelizmente, verdadeira. Quase 50 anos após a sua morte, me dei conta que essa (minha) luta parece que não evolui com a rapidez que o mundo está se movendo. Meninos e meninas, que tem todo o planeta na ponta de seus dedos, também parecem não conseguir explorar e se beneficiar de seus papéis consigo e com o outro. Nem de se beneficiar com espetaculares avanços feitos há quase 100 anos, quando a 19ª Emenda à Constituição americana liberou o voto a todas as mulheres. Ouvir Janis Joplin é sempre uma boa ideia. E daqui 5 anos?

Nota:
Elizabeth Silva é Consultora do Grupo Consulte e escreve na fanpage Palestras Inspiracionais.

#janisjoplin
#5yearsfromnow
#palestrasdabeia
#daqui5anos

www.palestrasdabeia.com


24
Sep 13

Daqui 5 anos tem festa de 15 anos do Estúdio MOL!

Estúdio MOL faz 10 anos!

Estúdio MOL faz 10 anos!

Dizem os especialistas que, a partir dos 10 anos, as crianças começam a sair da infância.
E visualizam o mundo adulto, no qual estão loucos ou sendo forçados a entrar.
Um mundo mais complexo.
Um futuro cada vez mais próximo.

É a idade da Independência.
Necessidade de esticar as asas.
Uma idade de grande apetite.
Afinal, há mais uma grande década pela frente.

E apetite é o que não faltou neste ano que o Estúdio MOL completa 10 anos: “mais de 270 projetos de vídeo e animação em 2013 e a expectativa de crescer 50% este ano”. Daqui 5 anos, metade do que compartilharemos por celular/pad será no formato vídeo.

Não é assim corriqueiro fazer 10 anos. O IBGE concluiu que as empresas brasileiras sobrevivem, em média, 10 anos. Ufa! Desta estatística o Estúdio MOL já passou.
Se não é corriqueiro para o IBGE, para mães como eu, menos ainda. E quando dá certo, passa tão rápido!

Estúdio MOL 10 anos!

Estúdio MOL 10 anos!

Me lembro quando eram 2 estudantes da FAU e 1 da GV, que adoravam cartoons, brinquedos, design, animação, papel, cores, cores e cores e, acima de tudo, criar.
Um dia, sumiram. Passaram-se algumas semanas até que, sem querer, descobri que tinham alugado uma salinha na Vila Madalena. Dali, foram para aquele incrível espaço, Módulo Fidalga. E agora, de novo, de casa nova. Comento mais abaixo.

Foi para o Estúdio MOL que fiz o “piloto” do meu workshop 5 Years From Now®, em 2007. Cresceram. Com o tempo splitaram em 3 negócios: Editora MOL do Rodrigo, MOL Toons do Zullo e o original, Estúdio MOL, de Galileo Giglio.

Desde o 1o. projeto de LEGO para o Banco do Brasil, em 2003, os formatos e limites entre arte, design e comunicação já foram quebrados. Ilustração, animação, inovação ou diversão? Essa determinação para cruzar, sobrepor, estilhaçar, desafiar, desmontar e remontar disciplinas é de nascença, congênito. Não tem com não ser.

E não foi fácil. Alguém disse que seria?
Não foi Steve Jobs que disse “o que separa os empreendedores de sucesso daqueles malsucedidos é a pura perseverança”? Então, parabéns ao empresário Galileo por perseverar!

Se você quiser conhecer o novo (lindo) loft do MOL, projetado por Ciro Ghellere, bem no centro de Sampa, vai se surpreender. Elogios ao “achado” era só o que se ouvia na festa de inauguração. Tem estúdios de vídeo e foto próprios, do ladinho do Metro República. Assim fica fácil, pra você e todos que trabalham na produtora, utilizar transporte público.

Há 10 anos, não existia Facebook (2004), Youtube (2005), Twitter (2006), Instagram (2010). Para o Estúdio MOL, um mundo que se mostra em diferentes formatos a cada momento é uma diversão. E divertido e colorido, o Estúdio MOL sempre foi, em todas as suas versões.

Cranio e MOL Graffitti ITAU

Cranio e MOL Graffitti ITAU

Estúdio MOL para Natura Sou

Estúdio MOL para Natura Sou

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL

Guguei e achei: divertir, do latim divertere: “voltar-se para um lado diferente das preocupações”. Acho que é uma boa definição para a criação do Galileo e seu time vencedor. Viva a Geração Y!

Petrobras – Energia from Estudio MOL on Vimeo.

Os clientes-anunciantes:
Natura, Itaú, Oi, Nike, Volkswagen, Coca-Cola, MTV, O Boticário e Ferrero.
Os parceiros:
ID\, AlmapBBDO, NBS, W/McCann, Live Ad, Leo Burnett, Ogilvy, Neogama e Black Maria.
A linha do tempo:
2003: #partiu com Galileo, Rodrigo e Zullo.
2013: Estúdio MOL comemora 10 anos em nova sede.
2018: daqui 5 anos estaremos na festa de 15 anos do Estúdio MOL.

NOTAS:
1. Vídeo móvel será 46% do tráfego Internet em 2018:http://tinyurl.com/nzly6ns
2. Estúdio MOL aponta crescimento: http://propmark.uol.com.br/produtoras/45651:estudio-mol-aponta-crescimento
3. Mãe Coruja, publicado em 6/10/2010: http://www.5now.com.br/mae-coruja/#more-257
4. Pesquisa IBGE, divulgada em 23/08/2013: http://tinyurl.com/mmb7mv5

Mais sobre Estúdio MOL:
- Estúdio Mol é destaque no meio digital, publicado em 10/4/2013: http://propmark.uol.com.br/produtoras/40084:estudio-mol-se-destaca-no-digital
- Itaú comemora um ano de Facebook, publicado em 13/11/2012:

http://propmark.uol.com.br/digital/42417:itau-comemora-um-ano-de-facebook

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL

Galileo Giglio, CEO Estúdio MOL


Fotos Galileo Giglio by Daniela Toviansky


21
Aug 13

Você lê pessoas ou ideias?

Você Lê Pessoas?
Você Lê Pessoas?

Nasci com esse defeito de fábrica: não leio pessoas. Felizmente, leio ideias.

Felizardos aqueles que detem os 2 códigos: leem ideias e pessoas. São “ambidestros na compreensão”.

Diz o professor Albert Mehrabian (UCLA), que 55% do que transmitimos vem da linguagem corporal, 38% do tom do voz e apenas 7% do que realmente falamos. Penso que, quem não lê pessoas com eu, se fixam nos 7% do que foi dito.

O Financial Post, baseado num artigo da Revista Psychology Today reuniu num artigo* 26 dicas para ajudar a gente a ler pessoas.

Muitas delas já “nascemos sabendo”, como a dica de que mentirosos não fazem contato visual, piscam excessivamente ou não se concentram. Mas atenção: estes também podem ser sinais de ansiedade e muitos mentirosos tem a habilidade de olhar fixamente em nossos olhos, enquanto mentem descaradamente.

Ou seja, cada uma das dicas tem suas exceções. Braços cruzados podem indicar uma “atitude distante e não receptiva. Ao que tudo indica, esse gesto visa proteger o coração e os pulmões de ataques. A maioria dos primatas também o faz por esse motivo.”** Mas se estiver frio, ou seja, se contextualizarmos, nada dessa leitura tem significado. Pois é, se fosse fácil ler gente era só decorar as 26 dicas da revista, não é?

Mas devaneei. Minha ideia inicial era provocar essa reflexão, fazermos essa pergunta a nós mesmos: leio pessoas ou ideias? E por que isso é importante? Porque se você, como eu, não tem esse dom, pode descobrir muito sobre sua vida, sobre suas apostas, seus acertos e derrotas. Pra que? Pra vida ficar mais divertida, oras.

Como descobri que não leio pessoas? Reparando (e me abismando) como outras pessoas faziam isso tão rápida e eficientemente! Quase que intuitivamente achei minha bengala e me acerquei de pessoas para quem esse dom era nato. Assim, através dos olhos delas “eu” captava e compreendia as carências, as disputas de poder e os humores presentes numa reunião de trabalho.

É fácil se iludir e tomar o domínio do mundo das ideias como o mais sofisticado, importante, cool, hip, chic, trendy. E, engano supremo: “se leio ideias “automaticamente” leio pessoas”. Pode ser que sim, pode ser que não.

Tomara que você não tenha esse defeito de fábrica. Mas se tiver essa deficiência, o quanto antes você se der conta, melhor será sua vida.

NOTAS:
A inspiração desse artigo veio de um dos meus clientes. Valeu Doraci de Souza.
* 26 dicas para ler pessoas: Revista Psychology Today 29.03.2013 http://business.financialpost.com/2013/03/29/26-tips-on-how-to-read-people
** Mundo Interpessoal: http://www.mundointerpessoal.com


18
Jun 13

#VEM PRA RUA

Uma vez perguntei para o incrível estilista Conrado Segreto, o “enfant terrible” da moda brasileira, porque tantos estilistas haviam escolhido, naquele ano, o rosa em suas cartelas de cores. E ele: “porque está no ar”. Naquele mesmo fim de semana, de algum ano do final dos anos 80, fui pra praia e vi um caiçara, já bem senhorzinho, andando de bicicleta com uma calça róóóóóóóósa! E dali pra frente, naquele ano, o mundo me pareceu mais cor-de-rosa. Ou com-de-rosa, como minha mãe diz que eu chamava a cor.

A música do O Rappa “Vem pra Rua” e a sua apropriação no comercial da FIAT , me fez lembrar desta história de Conradinho: “Tá no ar”.

Pra quem quiser, a letra e o link pra baixar o hino das manifestações de 2013.

Vem Pra Rua
O Rappa

Vem vamos pra rua
Pode vir que a festa é sua
Que o Brasil vai tá gigante
Grande como nunca se viu

Vem vamos com a gente
Vem torcer, bola pra frente
Sai de casa, vem pra rua
Pra maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Se essa rua fosse minha
Eu mandava ladrilhar
Tudo em verde e amarelo
Só pra ver o Brasil inteiro passar

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Vem pra rua!
Vem pra rua!
Vem pra rua!
Vem pra rua!

Vem vamos pra rua
Pode vir que a festa é sua
Que o Brasil vai tá gigante
Grande como nunca se viu

Vem vamos com a gente
Vem torcer, bola pra frente
Sai de casa, vem pra rua
Pra maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Ooooh
Vem pra rua
Porque a rua é a maior arquibancada do Brasil

Clique para ver vídeo produzido pelos drones da TV Folha, que registra o drama da 2a. feira, na Ponte Estaiada, em São Paulo:  http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?video=veja-imagens-aereas-de-protesto-em-sp-04024E9B3860D8A94326

Pra fazer o download da música vem pra rua: http://www.4shared.com/mp3/Y_gIhth8/Vem_pra_rua.html?

E uma foto, para quem o conheceu, matar as saudades!

O Incrível Conrado Segreto

O Incrível Conrado Segreto

http://tvuol.uol.com.br/assistir.htm?video=a-moda-de-conrado-segreto-04028D993362CC994326


31
May 13

Quase 5 na 5 Years From Now® com muitos 5!

beia-tais-5-palestra-SELIGA_0975
Neste 5o. mês do ano, a gente está comemorando a marca de mais de 5.000 fãs que curtem a nossa página no FACEBOOK. 

A GENTE A+DO+RA FÃS!  

Porque a 5 Years From Now® se fez a partir de pessoas e empresas que curtem o nosso trabalho, nosso jeito de falar e de trabalhar. E nos escrevem pra dizer isso!

Nestes quase 5 anos, construímos uma máfiazinha e já batemos a marca dos 350 clientes. E mais do que satisfeitos, temos amigos, laços fortes e uma rede tecida com mais de 5.000 horas de trabalho. Dizem que inovação acontece depois de 10.000 horas de suor. Somando minhas horas com as da minha sócia Taís estamos batendo essa marca! rsrs.

Também nos orgulhamos de nossa marca histórica de aprovação: convertemos 1 em cada 3 propostas! E ainda bem que aqui não precisou do 5 pra rimar com o post, não é?

Não descobrimos como ganhar dinheiro enquanto dormimos – nossa ambição máxima. Mas não desistimos! Se você tiver 1 ou 5 dicas, manda pra gente.

Nossas cativantes palestras são – a cada dia que passa – nosso orgulho maior. Provocar, instigar, evocar, causar, precipitar e inflamar: é com a gente, mesmo! E colhemos aplauso de todas as gerações. Adoramos chacoalhar todas as plateias.

NOTA DA BEIA:
Há várias linhas de divisões de gerações. Esta é a que eu uso:
Geração Tradicionalista: hoje acima de 67 anos (nascida antes de 1946)
Geração Baby Boomer: hoje entre 49 e 67 anos (nascida entre 1946 -1964)
Geração X: hoje entre 37 a 48 anos (nascida entre 1965 e 1976)
Geração Y: hoje entre 16 a 36 anos (nascida entre 1977 e 1997)
Geração Z: hoje entre 3 a 15 anos (nascida entre 1998 e 2009)
Geração A: hoje com até 3 anos (nascida após em 2010)

Ainda não é fã? Vai lá na nossa fanpage: https://www.facebook.com/5YearsFromNow

SE VOCÊ CONTRATA PALESTRAS PEÇA UMA PROPOSTA do mais novo conteúdo da 5 Years From Now® e se ligue no SE LIGA!


20
May 13

Cliente Está Sempre Certo!

Cliente Está Sempre Certo! Se estiver errado, releia regra 1

Cliente Tá Sempre Certo! Do Contrário, Releia Regra 1

Conheço o Ronaldo Ramos há uns 15 anos. Foi nossa amiga Graça Craidy quem nos apresentou. Ano passado, ele nos procurou, discutimos seu projeto de futuro e ele decidiu fazer o 5 Years From Now®.

Beia, Ronaldo e Taís em 5 Years From Now®

Beia, Ronaldo e Taís em 5 Years From Now®

Este é seu depoimento:
“Competência, no caso da 5 Years From Now®, se traduz em várias dimensões:
a) Leveza no enfoque inicial e na forma de apresentar a proposta ao cliente
b) Método de trabalho claro e com a dose ideal de academia e prática
c) Sócias que trabalham em perfeita sintonia
d) Ambiente de workshop despojado e estimulante à criatividade
e) Impecável trabalho de preparação
f) Relatórios que vão direto ao ponto
g) Criatividade e disciplina de cronograma
Com esta combinação de competências, o resultado não poderia ter sido outro – nasceu a CEO.LAB! Obrigado à Beia, Tais e à participação especial do Sergio!”

Se você ficou curioso, continue lendo um pouco mais dessa nossa experiência.

Depois de quase 1 mês de preparação e entrevistas chegou o esperado dia. Em 23 de agosto de 2012, o alto executivo Ronaldo Ramos esteve na 5 Years From Now®, para participar de um workshop de identidade – instigamos a reflexão sobre visão de futuro, essência, diferenciais e identidade através de dinâmicas disruptivas que mapearam possibilidades significativas na construção da nova marca.

Porque, quando nos permitimos um olhar para a identidade da nossa marca pessoal e profissional, abraçamos sua relevância e nos fortalecemos na construção da trilha rumo ao futuro. Foi incrível!

Tão incrível, que o Cliente retornou para mais um workshop. Desta vez, para chegar ao nome do futuro negócio. Um nome que exprimisse os seus principais atributos e benefícios. Porque quando nos expressamos de forma relevante, fortalecemos a empresa junto aos nossos colaboradores, fornecedores e clientes.

E lá nos embrenhamos, de novo, numa oficina criativa com Ronaldo, Taís e Sergio, como moderador convidado. E chegamos! CEO.LAB exprime essa marca que navega pelas sutilezas do mundo dos CEOs, combina elementos complexos com simplicidade, faz alquimias, mergulhos precisos e é rapida no diagnóstico.

Em breve, vamos conhecer a expressão visual do CEO.LAB. Mal posso esperar!

Cliente satisfeito: amigo<>cliente<>amigo. O que mais podemos querer Taís?
É correr pro abraço, como diz Sergio Lacarte. Valeuuu Ronaldão! RR é o cara!

Ronaldo em 5 Years From Now®

Ronaldo, na dinâmica “Soco no Estômago”, em 5 Years From Now®

Ronaldo em 5 Years From Now®

Ronaldo Ramos, em 5 Years From Now®

Sergio Lacarte diretor de criação e  artista plástico

Sergio Lacarte diretor de criação e artista plástico, na dinâmica “Feirinha Criativa”

Nota:
Taís de Souza é vice-presidente da consultoria heterodoxa de negócios 5 Years From Now®.
Sergio Lacarte é amigo mais de 20 anos, diretor de criação e artista plástico.


18
May 13

Ah, Se a Moda Pega!


A moda sempre me fascinou. E felizmente trabalhei 2 vezes neste mercado. Um mercado em que os azougues são poucos, porque entendem que trabalham com o intangível, mas o sucesso é bem tangível. Na moda há sucessos de crítica e público que rapidamente se transformaram em escandalosas bancarrotas. E os longevos e verdadeiros sucessos de negócios como Christian Dior e Giorgio Armani, para citar conhecidos.

A história por trás desses bem-sucedidos empresários da moda é sempre de muito perseverança, determinação, obsessão, mesmo. Costumo dizer que são do signo de capricórnio: nada os detém.

Lendo a trajetória de Mike Jeffries, 68, CEO da Abercrombie & Fitch desde 1984, seria ao mesmo tempo difícil e óbvio imaginar seu último depoimento, que causou frisson no bilionário mercado de moda.

Difícil, porque Jeffries praticamente nasceu dentro de uma cadeia de lojas. Aos 12 anos já era responsável pela compra da seção de brinquedos das lojas de seu pai, se formou em Economia, tem MBA na Columbia Business School, estudou na London School of Economics e trabalhou com Allen Questrom, da J.C. Penney e com o ex CEO da Gap, Millard S. Drexler, hoje J.Crew.

Fácil, porque seu arquétipo do Fora-da-Lei, o bad guy, jamais o abandonou! Ele ostenta títulos como “Mais Bem Pago dos Piores Gestores (Highest Paid Worst Performer), concedido a ele em 2008, pela The Corporate Library, numa pesquisa com 2.000 empresas americanas!

A web está de exemplos de sua luta insana por agregar valor a marca com suas frases arquetípicas “não quero que os meus principais clientes vejam pessoas que não são tão bacanas como eles usando nossas roupas”. Mas valor é uma coisa em decadência para Abercrombie desde 2005. Em 2009, após abrir 250 lojas, as vendas líquidas (net sales) eram de $313.9 milhões, muito perto dos $287.4 milhões de 2005 ou $351.3 de 2006.

Segundo a about.com sua reputação também não vai nada bem. Num país careta como os Estados Unidos, ele tem contra ele o boicote de grupos como Foco na Família, Fundação de Mulheres e Meninas, Coalisão Nacional para a Proteção de Crianças e Famílias, estudantes, universitários, pais e tantos grupos de internet que nem dá para listar.

As apostas do “fora-da-lei” não viraram grana, mas este vídeo de Greg Karber pode virar uma dor de cabeça.

Para quem não entende inglês, minha humilde contribuição: Tradução do vídeo.
Abercrombie & Fitch é um empresa horrível. Seu CEO insiste em somente contrata pessoas atraentes o que é irônico, considerando que ele tem essa cara. Além disso, ele se recusa a vender tamanhos grandes (XL e XXL) para mulheres, porque ele não quer que gordas usem suas roupas.

Mike Jeffries explica sua política relembrando que em toda escola existem jovens bacanas (popular kids) e os que não são. “Francamente, nós queremos os bacanas. Nós queremos todos os atraentes jovens americanos com um jeito cool e muitos amigos. Muita gente não encaixa [em nossas roupas], e eles não podem ter [pertencer]. Atitude de exclusão? Absolutamente.”

Para piorar a situação, eles queimam as roupas com defeitos em vez de dar para quem precisa. Eles querem só um tipo de pessoa usando suas roupas.

Hoje nós vamos mudar a marca deles. Viajei para um outlet de Los Angeles e comprei (não foi nada fácil) umas peças para doar aos desabrigados. De lá segui para a zona leste de Los Angeels, um local chamado Skid Row, que tem um das maiores populações de sem-tetos dos Estados Unidos. E comecei a doar. No começo, as pessoas foram relutantes em aceitar, mas depois minha expedição foi um grande sucesso.

Mas eu sou só uma pessoa eu não posso mudar uma marca sozinho. Eu vou precisar da sua ajuda. Então, dê uma olhada no seu guarda-roupa, no guarda-roupa dos seus amigos e de seus vizinho. Ache todas as roupas Abercrombie que eles compraram (por engano) e doe-as para o abrigo de sem-teto de sua cidade. Compartilhe o que você fez no Facebook e no Twitter e no Google+ (se você realmente estiver usando Google+) com a hashtag #FitchTheHomeless.

Juntos podemos fazer da Abercrombie & Fitch a marca de roupas número 1 dos sem-teto.

Mais aqui: http://www.businessinsider.com/abercrombie-wants-thin-customers-2013-5#ixzz2TeEf7zuq
Wikipedia: http://en.wikipedia.org/wiki/Mike_Jeffries_(CEO)

http://elitedaily.com/humor/the-10-most-ridiculous-things-mike-jeffries-ceo-of-abercrombie-fitch-has-said

Seguir @GregKarber


24
Feb 13

Tapa na Cara

Eu procrastinador?

Eu procrastinador?

Ninguém melhor do que nós mesmos pra saber e sentir o quanto a nossa atual atividade está inadequada ao nosso momento de vida. Motivos? Cada um tem os seus. E para cada um de nós são os mais terríveis possíveis. De chefes tiranos, escravidão de horas a fio, atividades sem sentido, sem avaliação, involução de carreira, baixos salários, baixa autoestima. Putz, vamos parar por aqui.

O fato é que todo dia tem alguém tremendamente insatisfeito com o seu trabalho no mundo. Mas por que é tão difícil dar um pé na bunda e virar a mesa?
É que falta uma faísca, um chacoalhão, um “tapa na cara”, o alerta de uma imagem tão forte quanto o alce deste comercial da Monster, que nos tira do conforto de nossas velhas certezas – e faz jus ao mais famoso dos sensos de humor, o inglês.

Ah, depois penso numa foto pra por aqui!

Ah, depois eu penso numa foto pra por aqui!

Porque quando estamos tão envolvidos, que parece que mergulhamos numa cratera, só sairemos de lá com uma ajuda de fora – com aquela mãozinha. Aqui, na 5 Years From Now® a gente gosta de se ver como esta mãozinha fora do problema técnico dos nossos clientes.

A Monster.Uk.Com é uma empresa que oferece vagas e aconselhamento de carreira. Em seu Facebook, diz “encorajar cada pessoa a destampar seu potencial, porque sabem o que é necessário para crescer, desenvolver, melhorar e avançar na carreira e na vida como ninguém”. E que estão à procura de pessoas que querem ser as melhores em suas funções, gente que gostar de fazer mais, receber mais e ser MAIS!. E que não tem medo de desafios, não importa de onde venham, mas que se empenhem em obter os melhores resultados.”

Me parece ser bem mais fácil pra Monster recolocar pessoas deste naipe (que se empenham em obter os melhores resultados), que realmente SER este candidato tão destemido.

Por isso, gosto tanto do comercial. Porque ao nos darmos conta do ambiente em que estamos, criamos esta força extra para abandonar a situação dramática, patética, involutiva e estressante em que estamos vivendo e parar de procrastinar.
Notas:
PROCRASTINAR: vem do latim procrastinatus: pro- (à frente) e crastinus (de amanhã). É adiar uma ação. Para a pessoa que está procrastinando, isso resulta em stress, sensação de culpa, perda de produtividade e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com suas responsabilidades e compromissos. Embora a procrastinação seja considerada normal, ela se torna um problema quando impede o funcionamento normal das ações. Fonte: wikipedia.

DICA do MONSTER: se quiser continuar a ouvir Don Giovanni tente aqui E se quiser saber mais sobre essa ópera no iTunes UK


11
Jan 13

Destruir é Inovar?

Férias de Inverno na Suíça

Férias de Inverno na Suíça


Você seria capaz de destruir o que você faz de melhor para provar o seu ponto de vista? Os suíços são!

Não mediram esforços para divulgar que suas idílicas paisagens alpinas são o melhor destino turístico para as férias de inverno. E ao destruírem e se livrarem de seu ícone mais famoso, nos asseguram que teremos as mais relaxantes férias de nossas vidas. O resultado é um filme que mostra muita neve, seus bucólicos-quentinhos-hotéis-cabanas e casinhas suíças de um jeito que nunca vimos. E com um tipo de humor impensável em suíços.

Sua empresa seria capaz de ir tão longe e destruir o que você faz de melhor?

Nota:
pra saber mais: http://www.myswitzerland.com/winter


30
Nov 12

4-YEAR-OLD

Estamos fazendo 4 anos de idade.

beia carvalho aos 4 anos, presidente 5 Years From Now®

beia carvalho aos 4 anos, presidente 5 Years From Now®

tais aos 4 anos, vic presidente da 5 Years From Now®

tais aos 4 anos, vice presidente da 5 Years From Now®

Somos cheias de energia, falamos pelos cotovelos e somos curiosíssimas.
Ansiosas pra mostrar o que a gente já sabe fazer.
Tanto como você, nós ficamos mega empolgados com as nossas habilidades e realizações.

Aos 4 anos, constantemente testamos os ambientes e os nossos domínios.
Experimentamos momentos de inseguranças e de muita segurança também.
Somos mandonas, fazemos barbaridades e, sim, inventamos histórias.
Como diria o Rei, são muitas as emoções nessa nossa idade!
Mas a cada dia, você traz uma nova exigência e isso vira um desafio, pra nós e pra você.

Nem todos com 4 anos de idade tem as mesmas habilidades e referências, mas a gente se identifica com esses marcos:
• Transbordamos de ideias imaginativas e somos mais independentes
• Já sabemos escovar os dentes e nos vestir sozinhas
• Somos exigentes, mas também nos empenhamos por colaborar
• Somos divertidas, falamos a verdade e tocamos nos pontos amargos
• Já dominamos tipos de comida, dinheiro e o conceito de tempo
• Não temos senso de propriedade
• Aprendemos a observar quando alguém está aborrecido ou sofrendo
• Queremos que você goste da gente e temos amigos de todos os sexos
• Ah, sim, sexualidade, temos uma curiosidade natural sobre o assunto
• E também temos interesses em música, dança e atuação
• Pulamos e andamos pra frente num pé só
• Adoramos escrever, pintar, recortar, colar e construir estruturas
• E desenhamos círculos, quadrados e, algumas vezes, um triângulo
• E em se tratando de desenhos, a Taís parou por aí, rsrs
• Contamos acima de 10 e distinguimos mais de 4 cores
• Adoramos repetir os palavrões que ouvimos por aí – se liga.
E, sorte a sua, fazemos mais perguntas do que qualquer outra idade!

Nós somos a consultoria 5 Years From Now®.
Somos especialistas em fazer você tirar os pés do chão e aterrissar num espaço dissidente, onde ideias divergentes são acolhidas, onde combinações exóticas, infantis, extravagantes, idiossincráticas, alternativas, não ortodoxas, não convencionais, excêntricas e impensáveis são possíveis. Onde as crises do presente são coisas do passado.
Aqui, no futuro, nada existe, só o que você inventar.

Somos especialistas em fazer você tirar os pés do chão, pirar e dar saltos para o futuro.

nota:
Traduzido do conteúdo do site SHE KNOWS PARENTING: http://www.sheknows.com/parenting/articles/814238/your-4-year-old-development-behavior-and-parenting-tips-1